Seg á Sex: 08:00 às 18:00

Sábado: 08:00 às 18:00

Fornecemos PMOC

+ Saúde e Qualidade do ambiente

Ligue agora (11) 2277-3899

Telefone (11) 94739-2622

FAQ

Perguntas frequentes

Se você tiver dúvidas. Nós temos respostas!

Em todos os casos, trata-se de combater o excesso de calor num determinado ambiente, reduzindo a humildade e conseguindo um efeito refrescante. Em equipamentos portáteis, o circuito de ar condicionado encontra-se numa única unidade, enquanto que nos denominados “sistemas Split” ou “sistemas partidos” existem duas unidades: a unidade interior (de parede, solo, teto…) é a que absorve o excesso de calor da habitação e faz circular o ar frio pela mesma, e a unidade exterior, também denominada condensador, elimina o excesso de calor absorvido, para o exterior. Estas duas unidades estão conectadas entre si por tubos de refrigeração.

Os sistemas convencionais de velocidade fixa baseiam-se no funcionamento do compressor em pleno rendimento ou desligado, ou seja, arrancam e param frequentemente. Quando colocado em funcionamento, o compressor arranca e mantem-se até alcançar a temperatura solicitada. Nesse momento, o compressor para e não arrancará até que a temperatura o solicite. Os sistemas Inverter conseguem fazer com que o compressor, em vez de parar, consiga baixar o regime de funcionamento, evitando arranques e paragens contínuos, reduzindo assim, o consumo do sistema e mantendo a temperatura real com menos variações em relação à temperatura solicitada e a um menor nível sonoro.

Sim, embora seja necessário o estudo referente à instalação que melhor se adapta às necessidades do mesmo, tais como equipamentos portáteis, splits ou sistemas centralizados de condutas. Se fossem necessárias condutas, e devido ao sistema centralizado, o espaço seria uma das limitações e existiria um custo adicional à instalação.

Depende das características e requisitos da/s habitações/s que necessitam de ser climatizadas. Quantas habitações temos? Se queremos controlar separadamente a temperatura em cada habitação? Que fontes produzem calor na habitação? etc. Para 4 ou mais habitações vale a pena considerar um sistema centralizado. Estes sistemas necessitam da instalação de condutas para a distribuição do ar.

Não é absolutamente necessário manter as portas e janelas fechadas durante o período de funcionamento do equipamento no entanto, este facto ajuda a manter as habitações frescas no verão e aquecidas no inverno(bomba de calor).

A forma mais adequada é situar a temperatura do termóstato no valor mais alto em que o utilizador considere o ambiente ótimo e confortável. Independentemente da temperatura do exterior, o termóstato colocará em funcionamento o equipamento se a temperatura no interior for superada. Isto significa que a temperatura da habitação permanecerá constante sem ser necessário alterar o termóstato. A temperatura de conforto situa-se entre os 20 e os 25 ºC.

O consumo energético anual é, no geral, surpreendentemente baixo. Os custos dependem da forma como se utiliza a/s máquina/s. Grande parte dos custos de energia é determinada pela utilização adequada das portas, janelas e estores, bem como da seleção errônea da temperatura do termóstato. A manutenção periódica da instalação também é um fator muito importante no consumo de energia.

Os refrigerantes que se usam normalmente nos equipamentos não são tóxicos, inflamáveis, explosivos e não ardem. O refrigerante circula num circuito fechado.

Em primeiro lugar é essencial que o sistema seja vistoriado por um profissional pelo menos uma vez por ano. Os filtros poderão ser limpos pelo proprietário, de forma a melhorar a qualidade do ar e a eficiência do equipamento.

Na realidade, esta operação deve ser efetuada a partir do momento em que se torna mais econômico do que realizar uma reparação. Se os componentes principais dos componentes tal como o compressor e/ou ventilador tem muito tempo de funcionamento, é conveniente consultar um instalador profissional. Ele informá-lo-á relativamente à relação custo de reparação e eventual aquisição de novo equipamento. Frequentemente, o mais baixo custo de consumo e as melhores prestações de um equipamento moderno em relação ao antigo são factores a considerar aquando da aquisição de um novo equipamento.

É aconselhável que assim seja na maioria dos casos. A combinação da unidade interior com a unidade exterior determina a capacidade e o consumo de energia da instalação. Adquirindo o conjunto completo serão obtidos rendimentos superiores, tanto em termos de energia como de conforto ambiental.

Se trabalha a frio(EER) pode-se obter esta informação através do resultado da divisão da capacidade frigorífica (W) pela potência absorvida(W). Se trabalha em calor (COP) obter-se-á através da divisão da capacidade calorífica (W) pela potência absorvida(W) em modo calor.

Depende de vários factores diferentes: quanto tempo se usa regularmente? foi reparado em muitas ocasiões? Se teve a manutenção adequada? Todos estes factores influenciam a vida do equipamento. De uma forma geral, considera-se que a vida mínima de um aparelho de ar condicionado é superior a 10 anos.